o-que-e-esg-planet-smart-city

O que é ESG? Saiba que isso tem a ver com seus investimentos.

Você sabe o que é ESG e o que isso tem a ver com os investimentos financeiros hoje e no futuro? Muitas pessoas acreditam que é necessário escolher entre sustentabilidade e resultados financeiros: ou um ou outro. No entanto, quando as duas andam de mãos dadas, isso ajuda – e muito no balanço da empresa. 

(mais…)

como-tirar-cpf-para-estrangeiro

Como tirar CPF para estrangeiros fora do Brasil

Cidades inteligentes se destacam pela valorização do meio ambiente

As cidades inteligentes inclusivas da Planet Smart City têm se destacado pelo investimento em medidas de sustentabilidade ambiental e projetos verdes inspiradores.

A ideia é que os empreendimentos assegurem não apenas a tecnologia, mas também o desenvolvimento de soluções para preservar o meio ambiente, os recursos naturais e o contato entre seres humanos e a natureza.

Neste artigo, você entederá porque a Planet entrega smart solutions que ajudam a melhorar a mobilidade urbana, a poluição sonora e atmosférica, o descarte de resíduos sólidos, economia de luz e água nas cidades inteligentes. Confira!

 

Soluções sustentáveis das cidades inteligentes

Veja abaixo as soluções sustentáveis que a empresa integra às cidades inteligentes do Ceará e Rio Grande do Norte para vencer desafios comuns dos centros urbanos, como a poluição, a gestão do lixo, o desperdício de energia e o caos dos transportes.

 

Soluções compartilhadas

  • Academia Smart – aparelhos transformam a energia cinética produzida pelo movimento dos usuários em energia elétrica;
  • Bicicletas compartilhadas;
  • Banco de mudas;
  • Sistema de controle da qualidade do ar;
  • Hortas urbanas;
  • Ciclofaixa – alternativa cada vez mais útil à mobilidade urbana e ao meio ambiente;
  • Carona comunitária para incentivar a diminuição de uso de veículos;
  • Ilha de recarga para veículos elétricos, que têm emissões zero, redução de ruído e aumento da vida útil da bateria são apenas algumas das vantagens da mobilidade elétrica;

Soluções de planejamento urbano

  • Sistema de controle da qualidade do ar;
  • Preservação das espécies da natureza;
  • Canteiro de obras racional e sustentável;
  • Arborização em ambiente urbano;
  • Lagoas artificiais (bacia de retenção da água da chuva);
  • Ilha de coleta seletiva de resíduos;
  • Gestão verde (escolha de espécies vegetais de baixa manutenção);
  • Iluminação pública totalmente realizada com luminárias de LED;
  • Blocos fotovoltaicos que armazenam energia solar para iluminar as lâmpadas de LED;
  • Irrigação de hortas urbanas regulada de acordo com a umidade do solo e da previsão meteorológica;
  • Plantio de gramíneas e plantas no canteiro de obras para reduzir as pressões no solo, devido às fases de construção e operação;
  • Compostagem comunitária (transformação de restos orgânicos em adubo, que poderá ser utilizado nos jardins dos moradores;
  • O uso da pavimentação drenante evita o acúmulo de água no piso. Essa questão é importante em função de uma crescente urbanização e da consequente impermeabilização do solo;
  • Pavimentação em piso intertravado drenante, antiderrapante e não gera ilhas de calor, proporcionando conforto térmico.

Além disso, os projetos da Planet Smart City agregam soluções inteligentes e inovadoras em arquitetura e planejamento urbanístico, tecnologia e práticas de inovação social.

Quer saber mais sobre as cidades inteligentes inclusivas da Planet Smart City? CLIQUE AQUI

 

 

Complexo do Pecém ganha usina de energia solar

Usina de energia solar é inaugurada na região vizinha à cidade inteligente Smart City Laguna

Índia e Brasil lideram downloads de apps durante a pandemia

Porto do Pecém: primeiro porto do Brasil reconhecido pela Fundação Green Ward

No mês em que se comemorou o Dia Mundial do Meio Ambiente (05 de junho), o Porto do Pecém se tornou o primeiro porto do Brasil a ingressar na fundação holandesa Green Ward.

Isso aconteceu porque o terminal cearense concedeu descontos de até 10% na taxa de utilização das instalações de atracação para os navios sustentáveis – com certificado da fundação holandesa.

A iniciativa do Porto do Pecém foi considerada de extrema importância, pois tem o intuito de proteger a comunidade local e o ambiente marinho.

Com isso, o terminal cearense passa a fortalecer a união e a promoção contínua de operações mais seguras e limpas, fazendo uso do Green Ward como ferramenta.

O que é o Green Ward

Plataforma responsável por promover a segurança, qualidade e desempenho ambiental no transporte, o que facilita uma rede de fornecedores de incentivos com inúmeras opções de benefícios para os que possuem o certificado.

Os detentores do certificado da Green Ward demonstram que estão além dos padrões internacionais, possuindo um comprometimento com a segurança e o meio ambiente, apesar das operações portuárias.

Fonte: O POVO

Planejando comprar a casa dos sonhos? Veja estas dicas!

3 - Vista aérea de uma parte da 1ª etapa, incluindo o Hub de Inovação e a Avenida Imperial

Planet Smart City é destaque no jornal Estado de São Paulo

Dia Mundial do Meio Ambiente: atividades para estimular reflexões serão realizadas virtualmente

O Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado dia 05 de junho, mas a data será celebrada durante toda a semana.

A partir de hoje (1º de junho), serão realizadas várias atividades pelas redes sociais para estimular reflexões sobre o momento que estamos vivendo, destacar a interdependência entre a saúde humana e a saúde do planeta e buscar entendimentos sobre como construir um mundo melhor no pós-pandemia – #PelaNatureza.

As ações estão sendo organizadas pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) e parceiros. Segundo a representante do PNUMA no Brasil, Denise Hamú, o objetivo é utilizar esse momento complexo e difícil que a pandemia impôs para repensarmos nossas ações em relação ao meio ambiente.

De acordo com Hamú, nem sempre tomamos consciência, mas desde o alimento que consumimos à água que bebemos, o ar que respiramos e, inclusive, muitos medicamentos que salvam vidas, todos são providos pela natureza. “Quando perdemos a biodiversidade, perdemos esses serviços dos quais dependemos para existir”, alerta.

Como surgiu o Dia Mundial do Meio Ambiente

A Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu 05 de junho como o Dia Mundial do Meio Ambiente em 1972, durante a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, em Estocolmo.

A data tem como objetivo principal chamar a atenção da população para os problemas ambientais e para a importância da preservação dos recursos naturais, que até então eram considerados, por muitos, inesgotáveis.

Foi durante a Conferência de Estocolmo que iniciou-se uma mudança no modo de ver e tratar as questões ambientais ao redor do mundo, além de serem estabelecidos princípios para orientar a política ambiental em todo o planeta.

Fonte: nacoesunidas.org

Caixa oferece carência de 6 meses para financiamento de imóveis novos

Inteligência artificial como ferramenta para melhorar a qualidade de vida

Cientistas britânicos transformam água em hidrogênio utilizando energia solar

Já imaginou um combustível produzido por meio de água e energia solar? Uma equipe de cientistas da Universidade de Southampton, no Reino Unido, conseguiu esse feito.

Eles utilizaram um método único capaz de transformar água em hidrogênio utilizando energia solar. O hidrogênio solar é um tipo de combustível limpo. A novidade pode ser uma potencial solução para a eliminação de gases com efeito estufa e produção química sustentável.

O estudo, liderado pelo pesquisador Matthew Potter, foi publicado na revista científica ACS Photonics. Para alcançar os resultados, Potter contou com a parceria do professor de química, Robert Raja, além de Alice Oakley e Daniel Stewart, do Dr. Pier Sazio da ORC e do Dr. Thomas Bradley e da engenharia do µ-VIS X- Ray Imaging Center.

Coautor do estudo e professor de Química e Catálise de Materiais, Robert Raja comentou: “Estamos entusiasmados com a parceria com o ORC, pois nos permite levar a desenvolvimentos em várias escalas em fotônica e catálise”.

As instalações do Optoelectronics Research Centre, um dos principais institutos mundiais de pesquisa em fotônica – situado na Universidade de Southampton – foram utilizadas para fabricar os microrreatores com propriedades ideais de transparência ótica para fotocatálise solar.

Converter água em hidrogénio usando energia solar

A tecnologia usada reveste o interior dos microcanais das fibras ópticas microestruturadas com um fotocatalisador que, na presença da luz solar, gera hidrogênio, que pode alimentar uma ampla gama de aplicações sustentáveis.

De acordo com Matthew Potter, o fotorreator inédito apresentou melhorias significativas na atividade em comparação com os sistemas existentes.

“Este é um exemplo ideal de engenharia química para a tecnologia verde do século 21,” comentou o pesquisador, afirmando que este processo de combinar processos químicos ativados pela luz com as excelentes propriedades de propagação da luz das fibras ópticas tem um enorme potencial.

Fonte: Portal Solar

FORBES destaca sucesso de vendas da Smart City Natal

Instituto Planet doa mais de uma tonelada de alimentos para moradores de São Gonçalo do Amarante

Instituto Planet doa mais de uma tonelada de alimentos para moradores de São Gonçalo do Amarante

Economia colaborativa: conheça as 5 vantagens da biblioteca de objetos

Você é daquelas pessoas que quando precisa muito de um objeto compra, só usa uma única vez e depois se arrepende de ter comprado? Quem nunca, não é mesmo? E se existisse um lugar onde você pudesse pegar emprestado esse objeto, ou apenas alugá-lo por um tempo, ao invés de comprar? Não seria perfeito?

Pois lá na Alemanha esse lugar já existe e se chama Leila Berlin: um espaço de doações e empréstimos de “coisas”. Funciona de uma forma muito simples: os objetos são divididos em três salas. Na primeira foram colocadas roupas e afins. Neste ambiente a pessoa pode levar qualquer coisa, assim como pode deixar o que não utiliza mais.

As ferramentas, barracas de camping e coisas que se utilizam poucas vezes foram divididas nas outras duas salas. Para usá-los as pessoas precisam solicitar o empréstimo e pagar uma taxa de garantia, que é restituída quando o objeto é devolvido.

O trabalho por lá é todo feito de forma voluntária. O objetivo: conscientizar as pessoas sobre a importância de consumir menos e de aprender a ser mais colaborativo.

Como toda boa ideia merece ser valorizada, a biblioteca de objetos já chegou aqui no Brasil, mais precisamente no Ceará, onde está sendo construída a primeira cidade inteligente inclusiva do mundo: a Smart City Laguna.

 

Leia também: Instituto Planet: como funciona o nosso braço social no Brasil

Biblioteca de objetos da Smart City Laguna (Ceará)

A biblioteca de objetos de Laguna foi inaugurada em 2019. É um espaço gratuito onde os moradores, e a população da região, podem pegar emprestadas ferramentas por um tempo determinado. São vários os tipos de ferramentas disponíveis: serrote, serra arco, parafusadeira, furadeira, entre outros.

O empréstimo é feito por meio de um aplicativo: o Planet App. A pessoa escolhe o objeto no app, faz a reserva, vai no Hub de Inovação, que fica na entrada da Smart City Laguna, assina um termo de responsabilidade sobre o objeto e deixa um valor de R$ 5 como caução.

De acordo com Susanna Marchionni, CEO da Planet Smart City no Brasil, empresa que está construindo a cidade inteligente inclusiva, a biblioteca de objetos foi criada com o intuito de incentivar os cidadãos a recuperar, reciclar e reutilizar objetos que não são de uso diário, gerando praticidade e economia para os usuários.

Veja as 5 vantagens da biblioteca de objetos

  • O empréstimo é bom para o meio ambiente: reduz o desperdício e a produção de coisas supérfluas e melhora a utilização dos recursos naturais.
  • Economia: se você for a uma biblioteca de objetos, tem uma enorme variedade de itens por uma pequena taxa de aluguel.
  • Compartilhar faz bem: um estudo realizado pela Universidade de Bonn, na Alemanha, mostrou que substâncias gratificantes são liberadas no cérebro quando compartilhamos ou doamos.
  • O empréstimo faz com que os ambientes da sua casa fiquem mais livres. Sabe aquele lema: menos é mais? Isso significa mais espaço na sua casa e menos objetos para acumular poeira.
  • Empréstimos conectam pessoas: por meio do compartilhamento, você conhecerá novas pessoas. O empréstimo é baseado na confiança e na amizade.

Achou útil esse artigo? Compartilhe com seus amigos!

Indústria de pás eólicas abre 142 vagas no Pecém

5 dicas de como manter seu bairro mais seguro

Veja dicas de como cultivar mudas de plantas em casa

Plantar é uma forma muito prática e econômica de valorizar sua residência. Afinal, um jardim bem cuidado rouba a cena em qualquer fachada ou quintal, não é mesmo? Sem falar que elas deixam o ambiente mais fresco, a casa mais colorida e ainda ajudam a aliviar o estresse do dia a dia.

Veja abaixo 4 dicas de como cultivar mudas de plantas, de forma adequada, dentro da sua casa!

1 – Escolha um local plano e bem iluminado

Parece óbvio, mas muita gente se esquece de começar pelo básico: escolher um local plano e ensolarado para montar o jardim. O solo plano facilita a irrigação e a absorção de nutrientes.

2 – Faça buracos maiores do que as mudas

Os buracos devem ter o dobro do tamanho dos recipientes das mudas para que a irrigação e a absorção de nutrientes sejam efetivas. Basta molhar, deixar a terra absorver a água, acrescentar a planta e cobrir o restante do buraco.

3 – Capriche no paisagismo do jardim

É claro que um jardim com plantas bem cuidadas é vistoso por si só, mas vale a pena investir

4 – Separe as espécies

Para um resultado visual mais uniforme, concentre as espécies maiores no fundo do quintal, as médias no centro e as rasteiras na frente.

Pronto! Agora que já aprendeu a plantar de forma correta, vamos ao próximo passo: fertilização. As plantas de casa, horta ou mesmo o gramado precisam ser fertilizadas regularmente para que possam crescer. Nossa recomendação é o adubo orgânico. É mais econômico, sustentável e ainda pode ser feito em casa.

Veja abaixo algumas sugestões!

Casca de banana

Pode parar de jogar a casca da banana fora! Elas são ótimas para enriquecer o solo. Para usar a banana como adubo, triture a casca e a polpa e enterre ao redor da planta. A banana é uma ótima fonte de potássio.

Casca de ovo

Rica em cálcio, a casca do ovo pode ajudar muito no crescimento das plantas. Para usar como adubo, basta triturar as cascas (no liquidificador ou pilão) e quando elas estiverem parecendo pó, polvilhe sobre o substrato. O cálcio vai sendo absorvido conforme a planta vai sendo regada.

Borra de café

Neste caso, será necessário misturar a borra do café com água. Dilua 100g da borra de café (cerca de 3 colheres de sopa) em um litro de água e deixe descansar por uma semana. Após esse período, coloque a água no borrifador, ou pulverizador, e aplique na planta. Essa mistura também serve como repelente, já que afasta pragas. Caso você coloque a mistura no regador, aplique direto na terra. Ela vai funcionar como fertilizante, uma vez que é rica em nitrogênio e carbono.

Atenção: a borra do café não deve ser colocada diretamente na terra. Somente misturado com a água.

Cascas de vegetais

Cascas de abóbora, cenoura e batata, por exemplo, são ricas em vitaminas E. Ao serem misturadas com a terra, vão ajudar no crescimento saudável das plantas.

Conheça o banco de mudas da Smart City Laguna!

A primeira Cidade Inteligente Inclusiva do Mundo, localizada no Ceará, mantém um banco de mudas com várias espécies de plantas, entre elas: bougainvillea, clusia, abacaxi ornamental, dracena, jasmim e dianella. Todas as plantas citadas são de sol, por isso é recomendável que a irrigação seja feita de forma intercalada.

 

Banco de mudas da Smart City Laguna

 

 

Conheça o hotel flutuante construído na Suécia com materiais naturais

Covid-19 destaca a importância do apoio comunitário entre vizinhos – devemos investir, agora, no longo prazo

garrafa-pet-luz

Jovem utiliza garrafas PET para levar luz a comunidades carentes

O jovem Brasileiro Vitor Belota Gomes realizou um intercâmbio em Nairóbi, no Quênia, e nessa viagem percebeu que muitas casas e escolas não tinham energia elétrica, algumas salas eram tão escuras que as crianças não conseguiam ver as próprias mãos. Ao notar este problema, o jovem começou a pesquisar sobre soluções de iluminação de baixo custo, e conheceu o trabalho da ONG Liter of Light, que monta lâmpadas com garrafas PET.

A solução consiste em encher garrafas com água e alvejante, e após isso elas são colocadas nos telhados das casas ficando expostas à incidência dos raios solares que, pelo processo de refração da luz na água, conseguem iluminar o ambiente. Cada garrafa oferece a mesma quantidade de luz de uma lâmpada de 55 watts.

Depois de voltar do intercâmbio, Vitor decidiu levar essa técnica para todo Brasil. Por isso criou uma ONG, a Litro de Luz, que tem como principal objetivo o desenvolvimento de postes de PVC para iluminação das ruas. Segundo ele, no início foram encontradas dificuldades para convencer as pessoas a utilizarem as lâmpadas. “Diziam: ‘quem é esse playboy que quer subir no meu telhado e instalar uma garrafa?”. Mas ele não desistiu e hoje o sistema já foi instalado em comunidades do Rio de Janeiro, de São Paulo, Brasília e de Florianópolis.

O poste de PVC foi criado porque a maior reclamação dos moradores era a falta de iluminação nas ruas. Este poste é acoplado a uma placa fotovoltaica que carrega uma bateria com capacidade para armazenar até 32 horas de energia e acende pequenas lâmpadas de led dentro das garrafas.

A próxima cidade que vai receber o projeto de iluminação sustentável é Caapiranga, município de 12 mil habitantes no Amazonas. “Vamos entrar na Amazônia com um projeto de longo prazo. É a região mais carente de energia, onde muitos dependem de geradores a diesel que só funcionam algumas horas por dia”, disse Vitor.

HIPATIA

Fortes e Ousadas: conheça Hipátia

tunel-noruega

Engenheiros projetam túnel flutuante na Noruega

ar-condicionado-sem-eletriciade

Como inventores de Bangladesh estão fabricando ar condicionados usando garrafas plásticas

Quando o inventor Ashis Paul criou uma maneira inovadora de atrair o ar frio para as casas usando garrafas de plástico, toda a sua empresa se uniu para ajudar a ensinar as pessoas que moravam na zona rural de Bangladesh a fazer o mesmo. Desde fevereiro deste ano, eles ajudaram as pessoas a instalar essas unidades – que não precisam de eletricidade para funcionar – em mais de 25.000 residências situadas em áreas em desenvolvimento no país.

Jaiyyanul Huq, diretor criativo do Gray Group, a empresa de publicidade que liderou esse projeto social. diz: “Somos uma nação propensa a inundações. Por conta disso, na zona rural de Bangladesh, a maioria das pessoas constrói suas casas usando latão, em vez de lama. Cerca de 70% da população de Bangladesh vive nessas casas. O problema com essas cabanas de lata é que elas ficam insuportavelmente quentes no verão, especialmente no norte e no centro de Bangladesh. Estive nessas cabanas. É como estar em uma sauna no Saara. Um de nossos supervisores criativos, Ashis Paul, começou a pensar em maneiras de trazer alívio para essas pessoas. Ele estava revirando a mente quando, um dia, ouviu o tutor de física da filha explicando como o gás esfria quando se expande rapidamente. Ashis tem uma mentalidade de “inventor” e sempre foi fascinado pela ciência. Então, ele começou a experimentar. Ele nos contou sobre sua ideia de fazer um ar-condicionado com garrafas de plástico. A simplicidade do Eco-Cooler é incrível.”

Para fazer um Eco-Cooler, você corta garrafas de plástico ao meio e depois as monta em uma placa. Em seguida, coloca o quadro sobre uma janela, com os gargalos voltados para o interior da casa. A mudança de pressão que ocorre quando o ar entra na parte mais larga da garrafa e sai pelo gargalo esfria o ar.

Parece estranho, mas o princípio é simples. Sopre na mão com a boca aberta. O ar está quente, não é? Agora, sopre sua mão com os lábios contraídos. Parece uma brisa fresca. O Eco-Cooler é capaz de diminuir a temperatura em até 5 °C imediatamente. Quando passa de 30 °C a 25 °C, pode-se dizer que faz uma grande diferença.

O grupo Gray decidiu assumi-lo como um projeto pro bono. “Gostamos de retribuir – é essencial para a nossa empresa. Decidimos fabricar e distribuir essas unidades gratuitamente. As ruas aqui estão cheias de garrafas, então as matérias-primas são fáceis de encontrar.” Para distribuir os Eco-Coolers, a empresa se associsuà Grameen Intel Social Business Ltd, uma plataforma de negócios que atua em muitas aldeias de Bangladesh.

oninus-autonomo

Conheça o ônibus autônomo da Mercedes Benz

artesanato2

São Gonçalo possui um dos artesanatos mais diversificados do RN

energia-renovavel

Energias renováveis geram 11 milhões de empregos no mundo

Em 2018, 11 milhões de pessoas estavam direta e indiretamente empregadas no setor de energias renováveis em todo o mundo. Segundo dados publicados pela Agência Internacional para as Energias Renováveis (IRENA), o ano anterior contou com 10,3 milhões de empregados.

A energia solar fotovoltaica representou uma parcela de 3,6 milhões de pessoas, 3,2 milhões em bioenergia, 1,2 milhão em energia eólica e o restante ficou distribuído em vários setores, como aquecimento solar e biogás. Embora o setor de energias renováveis tenha uma presença geográfica cada vez mais expandida ao redor do mundo, a maior parte dos empregos está concentrada em alguns países específicos.

Hoje, a China é o país com mais empregos no setor, representando 39% do total global com 4,1 milhões de empregos em 2018. Apesar desse número impressionante, a contagem de empregos na China realmente caiu em comparação com 2017 devido a uma queda no uso de energia fotovoltaica em meio a uma suspensão de subsídios e diminuição no número de vendas de sistemas fotovoltaicos.

O Brasil chega em segundo lugar e continua sendo o maior empregador de biocombustíveis do mundo: 832.000 pessoas foram empregadas no setor de biocombustíveis no ano passado, enquanto a quantidade total de empregos no setor foi de aproximadamente 1,1 milhão. Esse número tem potencial para aumentar mais ainda à medida que o Brasil continua aumentando o uso das energias eólica e solar.

 

Política internacional

Apesar das políticas favoráveis ao uso do carvão na administração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a quantidade de pessoas empregadas no setor de energias renováveis nos EUA aumentou de 786.000 em 2017 para 855.000 em 2018. 311.000 delas trabalhavam com biocombustíveis, enquanto a energia solar e eólica geraram 242.000 e 114.000 empregos, respectivamente.

No entanto, a incerteza em torno da política tarifária dos EUA e mudanças no nível estadual na Califórnia e em Massachusetts estão afetando algumas partes do setor de energias renováveis, e a solar registrou seu segundo ano consecutivo de perda de empregos. Em outros lugares, a Índia está fazendo um progresso dramático e o número total de empregos em energia renovável aumentou de 432.000 para 719.000 entre 2017 e 2018.

Fonte: Forbes.

cidades-inteligentes-smart-cities

5 desafios para tornar as cidades mais inteligentes, seguras e protegidas

MARGARET-THATCHER

Fortes e Ousadas: conheça Margareth Thatcher

casa-holanda-1030x597

Na Holanda, casa utiliza energia solar e luz natural para atender demanda por energia

A Eco Villa é uma casa totalmente neutra em energia que foi construída no município de Houten, província de Utrecht, na Holanda. Projetada em forma de L, a Eco Villa é equipada com painéis solares e uma bomba de calor. (mais…)

Holanda-bike

Conheça o estacionamento subterrâneo de bicicletas na Holanda

aeroporto-londres-tecnologia-1

Aeroporto de Londres experimenta tecnologia que transforma resíduos em móveis e uniformes

Espaços-verdes-depressao-1030x515

Estudo revela que espaços verdes podem ser antídoto para depressão

Um estudo desenvolvido por pesquisadores da Escola de Medicina Perelman da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, e membros da Sociedade de Horticultura mostra que os sintomas da depressão podem ser reduzidos quando as pessoas têm acesso a espaços verdes. Os pesquisadores da Filadélfia transformaram terrenos vagos da cidade em espaços verdes e perceberam que os adultos que moram perto dessas áreas recém-plantadas relataram uma diminuição dos sentimentos de depressão.

O estudo

A equipe observou 541 lotes da Filadélfia que foram separados em três grupos: um grupo controle de lotes onde nada foi alterado, um conjunto de lotes que foram limpos e um grupo de lotes onde tudo, incluindo a vegetação existente, foi removido e replantado com novas árvores e grama.

A partir disso a professora-assistente e coautora do estudo, Eugenia South, apontou que nas áreas verdes implantadas as pessoas reduziram os batimentos cardíacos quando passavam por esses espaços. “Encontramos uma redução significativa na quantidade de pessoas que estavam deprimidas”, disse South.

Sua equipe usou uma escala de sofrimento psicológico para perguntar às pessoas como elas se sentiam, incluindo os sentimentos de desesperança, inquietação e inutilidade, bem como medir os batimentos cardíacos, um indicador importante de estresse, dos moradores que passavam pelos lotes. Os bairros de baixa renda mostraram uma redução de 27,5% nas taxas de depressão.

Embora pesquisas anteriores tenham estudado os efeitos benéficos dos espaços verdes na saúde mental, especialistas como a professora Rachel Morello-Frosch, da Universidade da Califórnia, em Berkeley, consideram que esse experimento é “inovador”.

Depressão

Uma vez ou outra na vida quem já não se sentiu deprimido ou triste? Essa é uma reação natural aos problemas que nos deparamos rotineiramente. Mas é importante prestar atenção: quando o sentimento de tristeza se torna intenso, dura longos períodos e retira a pessoa da vida normal, é preciso estar atento. A depressão é o mais comum dos transtornos mentais e é uma doença que começa devagar e vai tomando maior proporção com o tempo. A Organização Mundial da Saúde calcula que, em vinte anos, a depressão ocupará o segundo lugar no ranking dos males que mais matam.

Frida-Kahlo

Fortes e Ousadas: conheça a história da pintora mexicana Frida Kahlo

ONU-Meio-Ambiente-Ana-Luisa

Brasileira cria solução para purificar água e vence prêmio global da ONU