Indústria de pás eólicas abre 142 vagas no Pecém

A fabricante de pás eólicas Aeris, instalada no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp), está com 142 vagas de emprego abertas.

A empresa está localizada na mesma região onde está sendo construída a Smart City Laguna (Ceará): primeira cidade inteligente inclusiva do mundo.

As vagas abertas são para funções como coordenador de produção, inspetor de qualidade, operador de tratamento de resíduos, além de oportunidades para técnicos em elétrica e mecânica.

Por fazer parte do grupo de empresas que prestam serviços essenciais, como é o caso do setor de energia, a empresa não parou suas atividades.

A Aeris também está recebendo currículos para seu banco de talentos com oportunidades para cargos de auxíliar e líder de produção.

Os interessados devem preencher o cadastro no site da empresa e realizar os primeiros testes pela plataforma. Os salários vão de R$ 1.280,00 a R$ 7.800,00, de acordo com a função.

A empresa já vinha expandindo o número de colaboradores, passando de 2,5 mil para 3,5 mil funcionários. Para 2020, a Aeris planeja chegar a 4,8 mil funcionários, por isso vem abrindo vagas para diversas funções. A fabricante de pás eólicas já havia efetuado 274 admissões em março e abril.

Covid-19

Por conta da pandemia, a empresa fez adaptações na área operacional e nos processos de contratação. Dentre as adaptações implementadas no processo de recrutamento e seleção estão a adoção de entrevistas por videochamada, entrega de documentação por email, agendamento de exames admissionais por horário marcado e até a dispensa na entrega de alguns documentos necessários à contratação para evitar o comparecimento dos candidatos em bancos e outros ambientes.

“Não podemos parar, mas a garantia da saúde, da segurança e do bem estar de nossos colaboradores são requisitos primordiais para nós e fazem parte dos nossos valores”, explica a diretora de Gestão e Gente da Aeris, Gianna Cunha.

Fonte: Diário do Nordeste

Instituto Planet: como funciona o nosso braço social no Brasil

Economia colaborativa: conheça as 5 vantagens da biblioteca de objetos