Perspectiva global, soluções locais

“Pense globalmente, aja localmente” é uma frase usada em muitos contextos, que é particularmente pertinente para nós. O grande déficit de casas a preço acessível é uma questão local observada em um cenário global.

Mesmo como fenômeno internacional, a falta de moradias de qualidade para famílias com poucos recursos financeiros afeta diretamente as comunidades locais.

No entanto, com 1,6 bilhão de pessoas no mundo vivendo atualmente em moradias inadequadas, inseguras ou superlotadas [1], os impactos são locais e globais, criando desafios para governos, empresas e instituições multilaterais.

Na tentativa de abordar essas questões, é necessária uma perspectiva dupla que une economia de escala e know-how internacional com atenção às necessidades locais de cada comunidade.

Economia de escala

Empresas internacionais geralmente se beneficiam de economias de escala. Conectadas ao redor do mundo, elas podem pesquisar em vários mercados o melhor preço e negociar descontos em grandes contratos de materiais e serviços.

Esse princípio é central no trabalho da Planet no Brasil, em que a escala nos permite fornecer moradias a um preço acessível, fornecendo aos moradores tecnologias e serviços inteligentes para melhorar sua qualidade de vida.

Na primeira cidade inteligente inclusiva do mundo, a Smart City Laguna, no Brasil, a escala do nosso projeto para construir 1.800 casas foi suficiente para estabelecer uma fábrica local de blocos de piso intertravado, proporcionando economia de até 35% em relação à compra tradicional de material similar.

Além de proporcionar economia real, a perspectiva global pode ajudar a fornecer um produto melhor, permitindo que empresas internacionais busquem soluções inteligentes em vários mercados.

Novos pontos de acesso (hot-spots) para desenvolvimento de tecnologia estão surgindo em todo o mundo – de Campinas, no Brasil, a Bangalore, na Índia.

As empresas com presença internacional podem contratar esses hubs de alta tecnologia para encontrar as soluções mais recentes, construindo com mais eficiência e melhorando a qualidade de vida em ambientes urbanos.

 

Leia também: Mercado imobiliário precisa repensar sua relação com as comunidades

Soluções universais

A atuação global não facilita apenas encontrar as melhores soluções, mas permite aplicar as lições aprendidas em um mercado em outro. Entender em que aspectos comunidades de lados opostos do mundo compartilham necessidades semelhantes nos ajuda fornecer soluções rápidas para os moradores.

No Quartiere Giardino, nosso bairro inteligente em Milão, a Planet ajudou a revitalizar o distrito, empregando Gestores Sociais para envolver os moradores na melhoria da vida comunitária.

Esses gestores tiveram o suporte do Planet App, que fornece um ambiente para os residentes se comunicarem e organizarem atividades coletivas.

O resultado desse engajamento tem sido um aumento do senso de pertencimento, abrindo caminho para que as pessoas abracem o papel do Gestor Social, reduzindo a desconfiança e os sentimentos de insegurança no bairro.

Nossa experiência na Itália orienta nossa abordagem no Brasil e vice-versa. O envolvimento da comunidade é fundamental para o design dos projetos da Planet na Smart City Natal, Laguna e Aquiraz, com Gestores Sociais atuando em cada empreendimento.

Adotamos uma abordagem de projetos abertos, convidando os moradores do entorno para desfrutar de serviços gratuitos, como bibliotecas, cinemas e aulas de inglês. Na Smart City Laguna, essa prática vem fortalecendo a relação da comunidade e é um fator de atração significativo para o crescimento do bairro.

Cidades inteligentes focadas na comunidade

Ao mesmo tempo que desfrutamos dos benefícios de uma atuação global, é importante termos sensibilidade às necessidades locais. Uma crítica comum a outras cidades inteligentes desenvolvidas ao redor do mundo é que elas empregam tecnologia pela tecnologia.

O que fazemos é diferente: para proporcionar um aumento real na qualidade de vida dos moradores, ouvimos o público local e entendemos suas necessidades antes de usar nossa experiência internacional para oferecer soluções.

É por isso que conversamos com os moradores sobre suas expectativas, preocupações e ideias para criar nossas cidades inteligentes inclusivas. Combinando isso com as informações coletadas pelos Gestores Sociais e os dados do Planet App, podemos garantir que os bairros continuem evoluindo em parceria com os moradores e de acordo com suas necessidades específicas.

Essa abordagem tem sido fundamental para nós. Os desenvolvedores imobiliários que conseguirem equilibrar a visão global e a local poderão entregar casas a um custo mais baixo e com maior qualidade.

Os incorporadores internacionais têm a escala para ajudar a reduzir o déficit habitacional mundial. Ainda assim, para serem bem-sucedidos, eles precisam reconhecer que qualquer solução deve ser executada em nível coletivo, atendendo às prioridades da população local.

Cristiano Radaelli
Diretor de Inovação da Planet Smart City

[1] https://www.un.org/sustainabledevelopment/blog/2017/10/affordable-housing-key-for-development-and-social-equality-un-says-on-world-habitat-day/

Mercado imobiliário precisa repensar sua relação com as comunidades

Instituto Planet: como funciona o nosso braço social no Brasil